Jason Mraz

INFORMATION

Genres : Romântico, Surf Music, Pop/Rock

Alguns anos atrás, o cantor e compositor vencedor do Grammy Jason Mraz lançou
um álbum que mudaria sua vida – o multi-platina best-seller We Sing. We Dance.
We Steal Things. O álbum contou com o sucesso “I?m Yours” – uma canção de amor
com sabor de reggae que conquistou o coração das pessoas, superando vinte e um
milhões de discos vendidos em todo o mundo e estabelecendo um recorde como a
canção a ficar mais tempo na parada em 51 anos de história da Billboard Hot 100 –
foram 76 semanas. A faixa proporcionou a Jason a indicação de “Canção do Ano”
no Grammy. Em 2010, o artista ganhou ainda dois Grammys para juntar à sua longa
lista de realizações: “Melhor Performance Vocal Pop Masculina” para “Make It Mine”
e “Melhor Colaboração Pop com Vocais” para “Lucky”, um dueto dele com Colbie
Caillat – as duas músicas também fazem parte de “We Sing. We Dance. We Steal
Things”.

Embora o álbum tivesse um grande efeito sobre o público e a indústria da música,
o maior impacto foi sobre o próprio Mraz, impulsionando o cantor e compositor
de Virginia ao estrelato internacional e criando uma demanda de shows em todo
o mundo, do Carnegie Hall ao Sydney Opera House, além de convites para se
apresentar em estádios ao redor do planeta.

Mraz passou 22 meses na estrada promovendo We Sing, que seguiu os álbuns de
estúdio Waiting For My Rocket To Come, de 2002, e Mr. A-Z, de 2005. “A turnê foi
uma explosão e um turbilhão”, diz ele. “Fiquei ligado no poder da voz e da melodia,
criando um desejo em mim de fazê-lo novamente. Ser capaz de inspirar as pessoas
pelo mundo e levar uma mensagem muito simples me deu a ideia do que posso
fazer. Cheguei em casa depois da turnê e pensei: “Como posso espalhar o amor pelo
mundo através desta nova plataforma que eu tenho?” Isso se tornou meu ponto de
partida para este novo trabalho.” Esse álbum, Love Is a Four Letter Word, contém um
sentimento, que explora os altos e baixos do amor ou, como Mraz diz, “O que alguém
faz no amor para que ele funcione, e o que se faz com o amor quando é hora de
deixá-lo”.

Mraz tem escrito constantemente, colocando suas experiências nas músicas. Ele
conseguiu reduzí-las a 12 faixas, que podem ser ouvidas em seu quarto álbum de
estúdio, Love is a Four Letter Word. Gravado no lendário estúdio Sunset Sound, em
Hollywood, com o produtor Joe Chiccarelli (White Stripes, Christina Perri), além de
grandes musicos, o álbum traz arranjos interessantes e ricas texturas musicais que
valorizam a voz pura de Mraz. “Eu sinto que ele mostra uma variedade de estilos, do
sensual ao jazz moderno, com guitarras acústicas e um pop alegre”, diz Mraz. “Quanto
às letras, eu queria que o álbum tivesse um equilíbrio sagrado e inocente para que
os ouvintes tenham ambas as experiências. Eu quero que eles sejam capazes de ir
mais fundo, mas que não fiquem presos lá. Eu quero que eles tenham o sol, mas não
fiquem tão bronzeados”.

O que une as músicas são seus temas. ?Eu tive a visão de que o álbum se
chamaria ?Love? e que falaria de amor e que eu compartilharia o amor de uma forma
ou de outra?, diz Mraz. “Pensei que seria fácil, porque tudo que escrevo vem de
um lugar de amor, mesmo sendo um novo entendimento, um remake ou um novo
despertar. Mas quanto mais eu olhava para o assunto, mais eu percebia que o amor
quase não pode ser definido – e quem sou eu para definí-lo? Então entrei numa
viagem para tentar definir uma palavra e ser uma expressão dela no mundo”.

Esta viagem levou a canções como o primeiro single “I Won?t Give Up”, uma
emocionante declaração acústica que já se conectou ao público, estreando em n°1 no
chart Digital Songs da Billboard e ficando no topo do “Top Songs” no iTunes. “É sobre
a experiência que tive com alguém em que tive uma situação dificil e deixei várias
coisas, na tentativa de ver que eu já tinha tudo”, diz. Outro momento comovente é a
canção “In Your Hands”, assim como “93 Million Miles”, em que Mraz mostra que você
pode se sentir em casa não importa onde esteja.

Fãs de Mraz vão gostar do “cheio de groove” “Everything is Sound”, que ele diz ter se
inspirado no seu amor por Kirtan ? um grupo devocional que canta em Sânscrito. “Fui
a vários Kirtans em Los Angels e quis escrever algo com um canto onde as pessoas
pudessem se perder um pouco”, ele diz. “Eu gosto da ideia de colocar algo de “aleluia”
na musica pop contemporânea”.

Outros destaques ficam para “Living In The Moment”, “Frank D Fixer” (inspirada no
avô de Mraz) e “Freedom Song”, que foi escrita pelo cantor/compositor de Seattle
Luc Reynaud. “Luc compôs esta canção com algumas crianças de um abrigo em
Baton Rouge, depois do furacão Katrina, e ela foi lançada no CD Harmonic Humanity,
vendido por pessoas sem lar para que arrecadassem dinheiro”, explica Mraz. “Quando
ouvi, escrevi para ele e perguntei se eu poderia cantar para todo mundo, porque eu
sabia que era importante divulgar a mensagem”. Durante a viagem de Mraz para
Ghana, em 2010, para trabalhar na organização anti escravidão Free The Slaves,
ele cantou “Freedom Song” numa escola onde muitos estudantes foram crianças
escravas. O grupo adotou a música como seu tema.

É neste cruzamento onde música, amor, esperança e doação se juntam dando um
significado para Mraz: um surfista dedicado, ativista e praticante de yoga e um artista
com consciência social e espírito ambientalista, cuja missão é celebrar o poder da
música em inspirar a mudança e ajudar os outros através de uma cidadania global.
Tendo trabalhado com a Fundação Surfrider, Free The Slave e True Colors Fund,
assim como apoiado ativamente o Save The Music da VH1, Free The Children,
SPARC (the School of the Performing Arts in the Richmond Community), MusiCares
e Life Rolls On, Mraz criou recentemente a Fundação Jason Mraz para ajudar a
manter organizações alinhadas com seus ideais de serviços. Seu trabalho é voltado
para acabar com tráfico de pessoas, promovendo a igualdade humana, luta pela
preservação do meio ambiente, defesa das artes e educação, além de auxilio,
assistência e recuperação.

ARTIST PHOTO